Socialize

RSS Feed

7 de Setembro: Independência do Brasil?

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, media: 5,00 de 5)
Loading...
315 acessos
7-de-setembro-independencia-ou-morte-quadro-pedro-americo

7 de Setembro zoeiro com a famosa tela “Independência ou Morte, de Pedro Américo, em versão modernosa (Não sei quem fez a edição! Achei a imagem em um pc público. Se o dono se manifestar, ponho os devidos créditos).

Alguns alunos andaram me perguntando o que é o feriado do dia 7 de Setembro afinal, e então resolvi deixar um breve resumo da história desta data, conhecida como a da Independência do Brasil.

“Ouviram do Ipirianga, às Margens Plácidas, de um povo heróico o brado retumbante.”

E nas calmas margens do Riacho Ipiranga, em 7 de Setembro de 1822D. Pedro de Alcântara e Bragança, o então Príncipe Regente e mais tarde Imperador Dom Pedro I  do Brasil, bradou frente à sua escolta a famosa frase “Independência ou Morte!” – dizem alguns historiadores – e outros dizem que não foi bem assim, dando início ao processo de emancipação do Brasil em relação à Portugal, com seu desligamento político daquele país.

Há quem diga, no entanto, que este processo teve seu início em 1808, com a transferência da Família Real e da Corte Portuguesa para o Brasil –  ao todo, foram mais de 15 mil portugueses, tripulando 25 navios mercantes, escoltados, desde Lisboa até o Brasil, por 18 navios de guerra portugueses e 13 ingleses.

Mas o que poucos professores de História nos diriam na Escola, é que esta transferência não aconteceu por prestígio dos Portugueses pelo Brasil ou pela sua vontade de viver aqui, mas sim porque a coisa por lá estava feia pros lados dos Portugueses: no final do século XVIII, as tropas de Portugal reforçavam as da Espanha, unidas à Inglaterra contra a França revolucionária. Porém, quando em 1799 Napoleão Bonaparte subiu ao poder, a Espanha se aliou à França, em uma estratégia que pretendia invadir e dividir Portugal, para afetar interesses comerciais do Reino Unido da Grã-Bretanha da Irlanda do Norte.

E então em 1807 teve início, na Europa, a Guerra Peninsular – também chamada, em Portugal, de Invasões Francesas –  que dividia o Reino de Portugal e o Reino Unido  de um lado e Império Espanhol aliado ao Primeiro Império Francês, do outro. E foi então que Napoleão Bonaparte concentrou suas tropas em Baiona, Espanha, para invadir Portugal, entregando aos portugueses as suas exigências:

  • Portugal deveria se juntar ao bloqueio continental que a França tinha decretado contra a Inglaterra e proibir a navegação britânica nos seus portos;
  • Portugal deveria declarar a guerra aos Ingleses; 
  • Portugal deveria sequestrar os bens Ingleses no país, bem como tornar prisioneiros todos os Ingleses residentes em Portugal.

E, sendo assim, a saída encontrada pelos Portugueses foi rumar ao Brasil. E a nossa “Independência” foi a sua estratégia para fugir das exigências Napoleônicas. No 7 de Setembro então quem se tornou livre foi a Família Real e a Corte de Portugal, e não exatamente O Brasil. Naquela época, Portugueses utilizaram o Brasil para se verem livres de amarras políticas com Portugal.

E nós, Brasileiros? O que temos a ver com essa data, afinal? Porquê a festejamos?

Fica a reflexão pra quem vai levar crianças para desfilar em 7 de Setembro, como se essa fosse, mesmo, uma data de comemoração para os Brasileiros…

Ao meu ver, é só mais um feriado, uma folga que uso para organizar outras coisas da vida, para as quais não deu tempo em algum outro dia. Mas a verdade é que, cada dia mais, acho a minha Pátria-mãe uma piada de mau gosto. Infelizmente.

E este é o quadro "Independência ou Morte" original, de Pedro Américo (fonte: Martins, Lincoln. Pedro Américo: pintor universal. Brasília, Distrito Federal: Fundação Banco do Brasil, 1994 ISBN 85-900092-1-1)

E este é o quadro “Independência ou Morte” original, de Pedro Américo (Martins, Lincoln. Pedro Américo: pintor universal. Brasília, Distrito Federal: Fundação Banco do Brasil, 1994 ISBN 85-900092-1-1)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicado por em 7 de setembro de 2016. Arquivoado em Divagações,Notícias. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *