Socialize

RSS Feed

O Momento da Mulher é agora – Abertura do Seminário Mulheres e a Segurança Pública

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, media: 5,00 de 5)
Loading...
2.217 acessos

Acabo de voltar do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, aonde acontece, entre hoje e sexta-feira o Seminário Internacional Mulheres e a Segurança Pública.

O Seminário, que abordará temas como o Empoderamento Feminino, Segurança Pública e Direitos Humanos, Enfrentamento à Violência contra a Mulher, entre outros, teve sua abertura oficial hoje, com início, previsto para às 19h, iniciada, efetivamente, às 19h30min.

A abertura contou com belas palavras de Airton Michels – Secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, que disse ser muito importante este momento pelo qual estamos passando, no qual as mulheres tem assumido mais cargos políticos, públicos  e de chefia, pois a mulher tem demonstrado uma destreza em aspectos diferentes do homem: no caso das policiais, elas tem se provado com maior tato para lidar e contornar certas situações difíceis de sua rotina dentro da profissão e, inclusive, maior detalhamento em reconstituição de fatos  para investigações, por demonstrar-se mais sensível e detalhista. Ele afirmou que a mulher parece ser mais adaptável a novos papéis e novas realidades do que os homens, que tem a tendência a tentar manter alguns cargos e obrigações imutáveis.

Lamentavelmente, talvez um resquício do machismo que, por mais moderno que um homem seja, ele sempre carrega em si, Dr. Michels anotou e citou o nome de todos os que compunham a mesa, mas esqueceu do nome da nossa cantora nativista Katia Gimenez, ao nos informar que “teríamos a apresentação de uma artista de nossa terra” para encerrar a solenidade, sem atribuir um nome à mesma (será que se fosse um artista homem, ele teria esquecido o nome? ;)).

Feminismos, à parte, o pronunciamento do Dr. Michels foi emocionante, demonstrando o seu bom discernimento e aceitação das mulheres como indivíduas ativas e de grande importância em nossa sociedade atual, reconhecendo que se o “modus operandi” masculino fosse o exemplo, os índices de violência não estariam como estão (citou o Brasil como um dos 10 países mais violentos do mundo)e atribui parte deste índice à falta de controle adequado da Violência Doméstica.

Não citarei todos os pronunciamentos para não me alongar, como se alonga, sempre, este tipo e cerimônia. Me aterei, então, em citar os que considerei de maior impacto para minha linha de pensamento.

No pronunciamento de Márcia Santana – Secretária de Políticas Públicas para Mulheres do Rio Grande do Sul – ela fez referência a esquete apresentada no início do Evento, salientando que, embora apresentado como comédia, a qual era a triste realidade de mulheres em seus lares, em todo o mundo, e uma realidade a ser mudada imediatamente e que, com certeza todas nós reconhecemos uma amiga, uma vizinha, alguém de nossas famílias ou a nós mesmas, assistindo àquela representação. Márcia sempre se pronuncia com paixão e dinamismo, demonstrando sua real preocupação com o tema da Violência contra a Mulher e seus efeitos em nossa sociedade.

Houve, também o pronunciamento da Secretária Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça, Regina Miki, que emocionou-se diversas vezes, ao falar, lembrando que no Brasil, embora a mulher já esteja conquistando seu espaço, apenas 7,6% da polícia Militar é composto por mulheres, bem como 25% da polícia civil e 7,4% do Corpo de Bombeiros, militar ou não. Lastimou o fato de raramente haver, por exemplo, um colete-a-prova-de-balas adequado para as mulheres policiais, de forma que este não cause desconforto, devido aos seios e maior largura dos quadris – ou seja, já há o uniforme diferenciado, mas há carência de uma total adequação à atuação feminina nas policias.

Elogiou o Governador Tarso Genro por ter nomeado 4 mulheres tenentes-coronéis no Rio Grande do Sul, desde que assumiu o Governo. Criticou o sistema prisional, citando haver um despreparo no tratamento de mulheres apenadas grávidas, lactantes ou com filhos pequenos e no lidar com a separação destas mães e destas crianças, salientando, ainda, que a mulher que vai para a prisão, fica lá abandonada, pois a companheira visita o companheiro na cadeia, mas mostram pesquisas, que o contrário não acontece: os homens não visitam suas mulheres na prisão – mesmo que a maioria delas tenham se envolvido em crimes – normalmente, no tráfico de entorpecentes, por influência dos maridos.

Regina Miki ainda nos chamou a atenção para o fato de a mulher agredida ser re-vitimizada, ao chegar em uma delegacia e ser colocada ao lado de seu agressor para a perícia do Departamento Médico Legal, o que se mostra, psicologicamente, hostil para a vítima, lhe trazendo ainda mais danos psicológicos, lastimando o fato de muitas mulheres continuarem vivenciando uma situação de violência doméstica por dependência financeira ou por pensar primeiro naqueles que dependem dela – os filhos. Daí a importância do Empoderamento Feminino e emancipação real da mulher na sociedade.

A Secretária ainda nos informou que 7 entre cada 10 dependentes químicos (crack), atualmente, são mulheres e que isto é um problema de Saúde Pública, e não de Segurança Pública. A dependência química é uma DOENÇA e, portanto, deve ser tratada  como tal, para uma minimização do prejuízo para toda a sociedade.

Advogada e especialista em políticas de segurança pública, Regina Miki disse que lança um desafio para este Fórum: “Que saia daqui uma carta ao Senasp” – dizendo que dali deverão sair novos planos e diretrizes para que as metas do empoderamento feminino, diminuição do machismo e, consequentemente, da Violência Contra a Mulher tornem-se verdadeiramente solidificadas.

Encerrou citando uma frase da Escritora Americana (cega e surda), Hellen Keller: “Nunca se deve engatinhar quando o impulso é voar.”

Houveram alguns outros pronunciamentos, mas aqui estão os que me fizeram a diferença na noite de hoje.

O evento também contou com uma exposição de fotos de Sandra Genro mostrando imagens das mulheres de diversas partes da polícia, no seu dia-a dia em ação: salvamentos, perícia de homicídio, recolhimentos de narcóticos, etc. Exposição que recebeu o nome pertinente nome de “Sensibilidade e Bravura”, imagens captadas por ela e pelas lentes de fotógrafos de seu gabinete.

E recém começou!

Amanhã tem mais! Palestras, debates e muitas mulheres que querem e vão mudar o mundo para melhor!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicado por em 7 de março de 2012. Arquivoado em Família,Feminismo,Iniciativas Femininas. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

Uma resposta para O Momento da Mulher é agora – Abertura do Seminário Mulheres e a Segurança Pública

  1. Pingback: [BLOCKED BY STBV] II Seminário Internacional Mulheres e a Segurança Pública | CromossomoX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *