Socialize

RSS Feed

Dia Internacional da Mulher: Por quê 8 de Março?

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, media: 5,00 de 5)
Loading...
5.074 acessos

Imagem de manifestação feminista não relacionada ao incêndio citado abaixo

Em 8 de março de 1857 operárias da indústria textil “Cotton” de Nova Iorque, que trabalhavam em regime de semi-escravidão – recebiam cerca de 1/3 do valor dos salários dos funcionários homens para trabalhar 16 h por dia – decidiram reivindicar melhores condições de trabalho, iniciando uma greve que teve como palco a fábrica onde trabalhavam: elas lutavam por uma redução da jornada de trabalho de 16h para 10h diárias (!!!).

Estas mulheres, que clamavam por seus direitos, ao serem severamente reprimidas, refugiaram-se dentro da fábrica e foram covardemente trancafiadas pelos donos e supervisores da mesma, para evitar que outros se solidarizassem com sua causa. Elas morreram queimadas, dentro da fábrica, onde um incêndio foi deflagrado. Foram 129 mortes.

Em honra às suas injustas mortes foi sugerida a data do 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, sediada em Copenhague, Dinamarca, porém a data só foi oficializada em 1921, segundo dados.

Como vocês podem ver, a data não é feliz. Não é comemoração à algum feito feminino. Não é o aniversário de nenhuma grande mulher da História, mas sim a representação do início de uma luta rumo ao empoderamento feminino na qual estamos até os dias de hoje, mais de um século depois da chacina.

As meninas que agora nascem, e no futuro, cada vez mais estarão distantes da realidade vivenciada por essas mulheres, por nossas bisavós, avós, mães, e nós mesmas (que temos mais de 30 anos).

Por sorte, as que já nasceram, encontraram um mundo onde as mulheres estudam, trabalham e constroem suas carreiras, sem que precisem se masculinizar, queimar sutiãs ou abdicar da maternidade por causa disso – mas podendo, também, se assim decidirem.

E torço para que as que nasçam de agora em diante encontrem um mundo onde já se tenha reeducado toda a sociedade, para que uma mulher não precise mais contar com leis para que sua integridade física e mental seja respeitada dentro de sua própria casa ou no local onde trabalham.

Que o empoderamento feminino pelas quais tantas já sofreram, foram torturadas e morreram já lhes seja legado por herança. Que seja natural. Tão natural quanto é uma menina crescer com desejos, aspirações e a vontade de ser independente, feliz e plena em sua humanidade e feminilidade – que NUNCA FOI sinônimo de fragilidade, mas, sim de sensibilidade.

Força, amor e paz para todas vocês! E que continuemos a lutar até vencer, sempre!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicado por em 9 de março de 2012. Arquivoado em Feminismo,Mundo,Notícias. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

4 Respostas para Dia Internacional da Mulher: Por quê 8 de Março?

  1. Pingback: Convite: Ato de 8 de Março, em São Paulo | Marcha das Vadias

  2. Pingback: O Dia Internacional da Mulher na visão fútil da Prefeitura de Porto Alegre | CromossomoX

  3. André von Kugland

    6 de março de 2013 at 17:15

    O tal massacre nunca aconteceu.

    A popular apocryphal story which surfaced in French Communist circles[53][54] claimed that women from clothing and textile factories had staged a protest on 8 March 1857 in New York City.[55] The story alleged that garment workers were protesting against very poor working conditions and low wages and were attacked and dispersed by police. It was claimed that this event led to a rally in commemoration of its 50th anniversary in 1907. Temma Kaplan[53] explains that “neither event seems to have taken place, but many Europeans think March 8, 1907 inaugurated International Women’s Day.”[53] Speculating about the origins of this 1857 legend, Liliane Kandel and Françoise Picq suggested it was likely that (in recent times) some felt it opportune to detach International Women’s Day from its basis in Soviet history and ascribe to it a more “international” origin which could be painted as more ancient than Bolshevism and more spontaneous than a decision of Congress or the initiative of those women affiliated to the Party.[54]

  4. Paula Berlowitz

    7 de março de 2013 at 2:21

    Hm, interessante saber desta versão. Vou pesquisar estas fontes. Em todo o caso, isto não desmerece a data, na qual são comemoradas as conquistas das mulheres, neste último século e meio da História do mundo moderno, e sem as quais não se teria visto tantos avanços nos direitos humanos.

    Só uma coisa, André: peço que não tornes a parte de comentários do meu site no Cirquinho (de horrores) que transformaste uma postagem da minha timeline no Facebook, ontem à tarde.

    Ou, se assim o fizeres, ok. Sinta-se livre para isso. Apenas me reservarei o direito de nem te responder, pois tudo o que eu tinha para te dizer, já foi feito lá.

    Minha conclusão é que és um sujeito hostil, machista, preconceituoso e mau caráter. Um bully. Além do fato de teres crença em sobrenatural, o que me faz não ver porque manter qualquer diálogo no campo da sanidade mental contigo. E nem conseguirei te levar a sério depois que deletaste a última dúzia de comentários que fizeste lá, deixando nossa conversa totalmente sem sentido, no final.

    Obrigada pela colaboração, com o excerpt enviado.

    E leia mais o Cromossomo X! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *