Socialize

RSS Feed

Momento “Mito de Sísifo”: Contemple a vida enquanto sua pedra rola montanha abaixo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, media: 5,00 de 5)
Loading...
4.811 acessos

 

Termina mais um ano (no calendário Cristão). Teoricamente, isso não quer dizer coisa alguma, uma vez que é um ciclo inventado por nós, mortais da era moderna, assim como já houve diversos outros calendários ao longo da História.

Mas na prática, uma vez estabelecido o calendário vigente no Mundo Ocidental, toda a sociedade se organiza, feliz ou infelizmente,  em torno deste ciclo, assim como em torno do relógio, nos micro-ciclos.

E todo fim de ciclo tem sua representação, tanto no sentido organizacional de nossas vidas – férias escolares dos filhos, da Faculdade ou do trabalho para alguns – ou “mais um ano sem férias” para tantos outros,  quanto  no que se refere ao estabelecimento de metas a serem cumpridas em determinado período.

Eu, por exemplo – e acredito que muitas de vocês, também – tenho o costume de sempre pensar “o que eu estava fazendo (ou o que estava acontecendo em minha vida), na mesma época, no ano anterior”, para medir os avanços e percalços de um período X, ao longo desta longa jornada que é a nossa vida.

Então, quando chega o final de Dezembro, sempre penso no “Mito de Sísifo”.

Sísifo – na Mitologia Grega, um dos mais inteligentes dos Mortais e, também, um dos primeiros a dominar a escrita – foi condenado a passar a eternidade rolando uma pedra de mármore montanha acima e, quando esta alcançava o ponto mais alto, rolava, novamente, montanha abaixo, ao par que Sísifo deveria voltar ao pé da montanha e rolá-la montanha acima, mais uma vez.

Qualquer semelhança com acordar, se vestir, comer, levar filhos para a escola, ir trabalhar, comer, trabalhar mais um pouco, buscar filhos na escola, voltar pra casa, comer, dar banho nos filhos, botar os filhos na cama, tomar banho, ir dormir, NÃO É mera coincidência – afinal é isso que são os Mitos: uma visão alegórica da vida humana!

Fato foi que Sísifo, segundo conta sua lenda, percebeu que, na monotonia de sua eterna e inevitável rotina existia um “Tempo de Pausa”: o tempo que a pedra levava para rolar montanha abaixo!

Então, neste período, ou ele ficaria ali, se remoendo, pensando: “Ó, como sou infeliz e desgraçado, com esta minha fatídica rotina” ou ele faria o que fez – descobriu a CONTEMPLAÇÃO! Percebeu então, provavelmente, as belezas da montanha e diversos outros detalhes prazerosos que o levaram à CRIATIVIDADE em sua eterna rotina.

E acredito que é isto que devemos fazer em nossas vidas: contemplar toda a beleza do que nos cerca – seja dos filhos ou da pessoa amada (essa é pra ti @riclops!), seja de atos de solidariedade humana que virmos nas ruas ou em algum veículo da mídia, ou dos avanços da ciência e diversos outros aspectos do nosso mundo Natural!

Quem não se sente invadido de inexplicável energia enebriante ao olhar para o mar, ou para uma enorme cachoeira, ou para animais em seu habitat, ou para um céu muuuuito cheio de estrelas, com uma Lua enorme, como só em cidades pequenas podemos nos dar o prazer de ver, ou para o olhar de um casalzinho de adolescentes apaixonados (essa é pra vocês, Sigrid e David!), ou para uma criança mamando no peito da mãe?!

Se tu não te sentes assim quando vês essas coisas, estás vivendo de maneira muito superficial, se preocupando, apenas, em “rolar a pedra montanha acima”, desperdiçando todo o tempo de sua “descida montanha abaixo”! O que é uma pena, pois o final é um só, e todos nós já sabemos qual é! A diferença é o “durante”!

No sentido oposto, temos a obrigação moral de tentar diminuir todo e qualquer sofrimento desnecessariamente causado à qualquer ser-vivo dotado de sensações e sentimentos, buscando assegurar a toda vida Terrena, o conforto, paz ou felicidade almejado por nós mesmos! Afinal, ninguém será plenamente feliz enquanto existir outro alguém plenamente infeliz!

EQUILÍBRIO! É o que nos falta. A todos nós. No MUNDO INTEIRO!

Então, era isso!  Feliz fim de mais um ciclo a todos os que nele estão inseridos! E que no próximo, possamos ser ainda mais sensíveis, porém firmes e determinados, buscando o que nos alegra, sem NUNCA fechar os olhos para o que nos entristece, para que se busque a minimização de todo o sofrimento existente!

Eu AINDA levo fé na raça-humana! Por mais que muitos de seus exemplares me entristeçam, profundamente, em cada dia de minha convivência com eles, afinal, isso me torna mais polida, mais resistente e mais consciente do que eu quero para mim e do que eu quero transmitir aos outros!

Um abraço do tamanho do MUNDO à todos que chegaram até o fim de mais esta minha VIAGEM! =D



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicado por em 31 de dezembro de 2011. Arquivoado em Reflexão. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

3 Respostas para Momento “Mito de Sísifo”: Contemple a vida enquanto sua pedra rola montanha abaixo

  1. Riclops

    1 de janeiro de 2012 at 2:18

    Obrigado gatinha, sou muito feliz ao teu lado!
    Te amo!

  2. Nirvan

    20 de março de 2012 at 0:11

    Puxa, fiz um comentário longo e perdi.
    Agora vou resumir: Gostei do teu post, revela tua visão e reflexão sensível. O mito fala de contemplação… visita o site http://www.sincronariodapaz.org – pois comentas de calendários,
    veja a sincronia na capa… Observe, a natureza é linda esábia.
    Como falei ao Ricardo, és carismática e tens uma contagiante presença, vá fundo nos teus projetos ! Abraço, Nirvan.

  3. Paula Berlowitz

    20 de março de 2012 at 0:50

    Poxa!

    Agradeço muito, Nirvan!

    E fico muito feliz pela tua reaproximação!

    Acredito que renderá bons frutos!

    Já estou espiando o “sincroniadapaz”. Valeu a dica! 😉

    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *